quarta-feira, 11 de abril de 2012

Maré

A maré avançou no meu sentido
já perdidas esperanças e as botas
arrancou gemidos e suspiros
às lembranças que jaziam quase rotas
rasgadas na essência e conteúdo...
esquecidas no baú antigo e sujo
das mentiras que contaste a um marujo.

Miguel Afonso

1 comentário:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Nao sei se somos amigos no FB (caso não, gostava) mas lá exiuetem grupos de poeais onde devias partilhar o que (tao bem) escreves.

Um abraço. Assim____________