domingo, 21 de novembro de 2010

Passeios

Passeio ao pé do mar nesta tarde de Outono
neste domingo triste, neste dia de solidão
o meu coração é um mendigo ao abandono
que estende à caridade a sua mão.

Mendigando amor vou perseguindo uma ilusão
olhando as ondas, vendo as vagas a crescer...
e dentro do meu ser cresce esta dor e esta paixão
e nos olhos se me espraia este sofrer.

O mar entende-me... e aceita estes desabafos
escuta e compreende o que sinto e o que lhe digo
sabe como anseio o doce toque dos teus braços
entende como sofro por não poder estar contigo...

Perdoa, amor, se te maço ao dizer isto
se te aborreço com os meus devaneios
mas recordar-te é algo a que não resisto
quando ao pé do mar dou estes passeios...

MIGUEL AFONSO

2 comentários:

Felipa disse...

Passeios ao pé do mar...
ó quem me dera fazê-los
sentir o vento no rosto
a esvoaçar-me os cabelos...

JB disse...

Também gosto do mar... Como está longe daqui, por vezes, é no campo que deixo os meus devaneios...

Embora a saudade, o poema revela a serenidade, a voz que ecoa junto desse mar.

beijinho