terça-feira, 21 de junho de 2011

Cada ausência tua

Cada ausência tua dói no meu corpo
como se me arrancasses a vida de cada vez que vais embora
como se, ao me deixares aqui tão só
torturasses o meu ser a ferro e fogo.

Amor, vem que eu te quero
vem que eu te espero
vem que por ti morro e sem ti me desespero...

Miguel Afonso

1 comentário:

Felipa disse...

Cada ausência aumenta a vontade de estar com o outro, quando o amor é verdadeiro.
Bj